Monthly Archive: Abril, 2013

E chegamos ao Ano II

por

Faz amanhã 1 ano que este trio de autores embarcou numa nova aventura. O propósito era específico e simultaneamente vago q.b. para, pelo seu conceito, não se revelar limitativo no futuro, enquanto íamos… Continuar a ler

Flower explosion

por

Nesta época, as cores exuberantes das flores convidam a sentimentos de alegria, boa-disposição, esperança… E não é que precisamos mesmo disso? DC 2013

Careta, street art

por

Novamente na Baixa do Porto, algures…

As máquinas inteligentes

por

Quem se interessa pela evolução da internet (podem ler o que escrevi sobre a web 2.0 aqui e acolá), sabe que existem várias teorias sobre como será (ou é) a web 3.0 e web… Continuar a ler

Wild flower

por

Diz-se que nasce no monte sem ser semeado. Diz-se que anda aos molhos. Diz-se que é dourado? Que é espontânea, ok, que anda aos molhos e os molhos também. Até posso dizer que… Continuar a ler

Monge diabólico

por

Eis nova imagem de um gratfito interessante com que me deparei na Baixa do Porto… O que será que ele traz nas mãos?… E para onde se dirige tão apressado? Decidi chamar-lhe Monge… Continuar a ler

Spirou nas Fnac gaiense e portuense

por

Se a polémica da não realização da Feira do Livro do Porto este ano continua – segundas as últimas notícias, a APEL recusa-se a realizar este evento em Gaia, apesar do convite surgido… Continuar a ler

Jungle fight

por

Mais uma foto, mais uma reflexão… Agora pela profusão de plantas variadas a lutar por um espaço à luz… Algumas destas plantas foram colocada aqui por mão humana. Mas as selvagens que vieram… Continuar a ler

Sobre as memórias

por

As estátuas, as moedas foram também, entre muitas outras coisas, formas de criar memória. Em tempos antigos isso era um privilégio exclusivo dos ricos e dos poderosos. Só eles é que podiam mandar-se… Continuar a ler

Exposição de Clarice Lispector na Gulbenkian

por

Já  abordei aqui um pouco da minha paixão por Clarice. A Fundação Calouste Gulbenkian apresenta uma exposição que pretende apresentar Clarice ao público português e deliciar quem já conhece a sua obra. O… Continuar a ler

Cantinho dos jarros brancos

por

Flores primaveris, que resolveram juntar-se num cantinho do quintal… Uma só , não se notava, em grupo fazem-se ver. Pensei então na vantagem da uniformização e dos grupos. Numa sociedade que pauta por… Continuar a ler

O complexo de Bom Jesus – Braga

por

Um complexo de edifícios que se confunde com a minha vida. Lembro-me do meu avô materno me levar lá de autocarro ao sopé do Pórtico. Apanhávamos então o elevador hidráulico que subia o… Continuar a ler

  • Escreva o seu endereço de e-mail para seguir este site e receber as notificações por e-mail.