TANKA

Poesia de formas curtas. Versos curtos de alternância silábica de 5 e 7 sílabas. são 31 sílabas japonesas apresentadas na vertical. A tradução é apresentada em 5 linhas que corresponderiam a 5 versos metricamente alternantes de 5, 7, 5, 7, 7 sílabas… Pois, para quem como eu não percebia nada de poesia japonesa, foi uma agradável surpresa ler o livro ” O Japão no Feminino – I – TANKA séculos IX a XI, versão portuguesa por Luísa Freire, da Assírio & Alvim, 2007 que me ofereceram.

Gosto como sabem, muito de publicidade e MKT e acho incrível como as japonesas preferiam curtos poemas onde expressavam os seus sentimentos usando imagens da natureza. Escrever imagens, a palavra com significado duplo expressando sentimentos de amor.

De vez em quando vou revelar-vos o que descobri neste livro, mas para já deixo-vos com alguns exemplos desta poesia, bem como as notas enquadradoras que se podem lá encontrar.

De Ono No Komachi (834?-?)

1.

Será que apareceu

só porque eu adormeci

a pensar nele?

Se eu soubesse que sonhava,

nunca teria acordado

2.

Quando o meu desejo

se torna intenso demais,

visto a roupa de dormir

virada pelo avesso,

escura casca da noite.

Neste poema vemos a poetisa acordada, seguindo o velho costume japonês de virar a roupa ao contrário para que se cumpra um desejo.

3.

O meu desejo de ti

é forte para contê-lo-

assim  ninguém vai culpar-me

se à noite for ter contigo

pela estrada dos meus sonhos.

4.

Não há como vê-lo

nesta noite sem luar-

estou deitada e desperta,

os seios ardendo em desejo

e o coração em chamas.

Este é um dos poemas mais conhecidos de Komachi com palavras-pivot, relacionando em curto espaço imagens e sentidos. tsuki, que significa “luar” e “caminho”, é usado para implicar que a noite escura, sem lua, impediu de ver o caminho pelo qual o amado viria.

5.

Sei que tem de ser

assim no mundo real

e tão cruel –

até mesmo nos meus sonhos

nos escondemos dos outros.

6.

Embora vá ter com ele

pelos caminhos do sonho,

sempre e sem descanso,

nada iguala a realidade

dum real e mero olhar.

7.

A noite mergulha

com um veado a chamar

em som agudo

e, ao ouvi-lo, escuto

um lado próprio do amor.

8.

Se isto fosse um sonho

certamente te veria

uma vez ainda –

por que tem o amor desperto

de ficar incompleto?

Anúncios