O jornalista detetive

Após ter lido esta interessante análise, ocorreu-me que tinha escrito há seis anos uma pequena resenha sobre o mesmo livro. Pareceu-me o momento adequado para partilhar essa curiosidade. Não alterei o texto, pelo que deve ser lido à luz da data da sua publicação, 1 de fevereiro de 2006:

O #10 da Série Ouro d’Os Clássicos da Banda Desenhada da Panini é dedicado a Ric Hochet. Este herói  é um verdadeiro fenómeno. Não são muitas as séries franco-belgas da linha clara que contam no seu currículo com 71 álbuns e que continuam a ser publicados com argumento e arte dos autores originais, André-Paul Duchâteau e Tibet.

Apesar da sua popularidade em França, no nosso país parece ter caído no esquecimento dos editores, pois já há bastantes anos que o jornalista detetive não é publicado por cá.

As 4 histórias selecionadas foram originalmente publicadas entre 1971 e 1981, só uma delas sendo inédita (O escândalo Ric Hochet), tendo as restantes sido publicadas na revista Tintin e/ou em álbum. As histórias são interessantes para todos os gostam de policial/aventura, nas quais o que parece paranormal acaba por ser desmascarado (por vezes, acontece o leitor adivinhar quem é o culpado antes deste ser desvendado).

Tibet é um mestre da escola franco-belga e os álbuns escolhidos não o escondem. As cores são também muito atrativas. A redução do formato pode tornar a leitura um pouco cansativa, mas sem grandes consequências (ao contrário da série anterior d’Os Clássicos de formato menor, que assassinava completamente os franco-belgas). Em suma, o 10º número é, portanto, um bom volume!

Os Clássicos da Banda Desenhada – Série Ouro #10
Ric Hochet – Os Espectros da noite (Les spectres de la nuit, 1971), Investigação no passado (Enquête dans le passé, 1974) , Inimigo através dos séculos (L’enemmie à travers les siècles, 1978), O escândalo Ric Hochet (Le scandale Ric Hochet, 1981)
André-Paul Duchâteau & Tibet
192 pp, brochado
Panini, 2005 (Portugal)
ISBN 989-559-139-X

Anúncios