Detergentes e marketing

Hoje em dia, é frequente ouvir críticas aos brindes para as crianças fornecidos pelas cadeias de fast food. Mas esta estratégia de marketing nem é nova nem exclusiva da alimentação. Nos anos 70 do século passado, era frequente a presença de brindes para crianças nas embalagens de (a sua mente deve ter sugerido “cereais”, certo? errado!)… detergentes em pó.

Curiosamente, apenas uma das marcas de que me recordo com brindes existe atualmente, a Ajax. As outras duas – Azur e Juá – já não se encontram nas prateleiras dos supermercados há muito tempo…

Os brindes eram bonecos mais lúdicos (p.e., Lucky Luke) ou pedagógicos (soldados históricos, figuras étnicas, espécies de peixes, raças de cães e outros que tais). E muito se lembrarão do espirógrafo denominado “régua mágica”.

Mas como poderão observar na embalagem recortada que ainda guardo, não é necessário grandes produções para cativar os mais novos. Um jogo da glória estampado no verso da embalagem  – com as instruções num dos lados – parece ser suficiente…

Profissionalmente, a atividade lúdica em geral e o jogo em particular têm-se mostrado aliados poderosos quando inseridos em programas de promoção da saúde, como podem ler neste artigo.

Seja em jogos de cartas, de tabuleiro ou videojogos, a dupla filosofia que o detergente Azur utilizou nesta estratégia tem estado presente nas minhas produções: a) fazer mais com menos; e b) fazê-lo tanto simples quanto possível 😉

NPS

Anúncios