A queima de calorias e os videojogos

O prazer e a culpa… Esta associação milenar tem quase o dom da omnipresença. Muitos dos meios de entretenimento infantojuvenil  têm sido alvo das cruzadas da moral e bons costumes: a televisão, a banda desenhada, o rock’n’roll, os videojogos – todos eles já foram considerados uma das principais razões de existir violência e demais depravações no mundo atual.

Ultimamente, dada a sua popularidade, são os videojogos que são frequentemente alvo dos opinantes da moda. Quase nunca baseados em evidência, os opiniosos associam-nos, por exemplo, à despromoção da leitura e da atividade física ou ao incentivo da violência ou da agressividade. A desresponsabilização parental ou do próprio indivíduo é sempre um sinal de alívio. Culpem-se as causas externas. E, como todos sabemos, as restantes formas de arte, como a literatura, pintura, escultura, dança, teatro, cinema, fotografia… são o exemplo perfeito da virtude… As generalizações…

Os videojogos podem ser por muitos considerados uma das novas expressões de arte – inclusivamente, alimentam-se de quase todas as restantes – mas são nitidamente um produto de entretenimento. Estima-se também tratar-se de uma indústria que economicamente está bem de saúde. E, havendo dinheiro – muito dinheiro – não é difícil contra-atacar as críticas.

Concentremo-nos apenas no sedentarismo. Nos anos 80, começaram a surgir os primeiros videojogos de exergaming. Este estrangeirismo – e neologismo – refere-se aos videojogos nos quais há alguma forma de atividade física. Foi no final dos anos 90 que se popularizou, através de jogos que utilizavam um dance pad (na verdade, desde 1986 que existiam jogos que utilizavam dance pads). Seguiram-se steppers e bicicletas estáticas, sem grande sucesso.

Em 2005, surge o primeiro videojogo de aptidão física com multifunções e com um “treinador pessoal”. A grande novidade é que consegue detetar movimentos através de uma câmara (EyeToy).

Dois anos depois, a Wii tornou-se extremamente popular com os seus videojogos de fitness, utilizando uma balança própria para calcular o centro de massa. Por outro lado, o seu controlador permitiu a deteção da aceleração.

Com o sucesso da Wii entre os jogadores ocasionais, em 2010 a Sony anunciou o seu sistema Move (câmara e controlador com deteção de movimento) e a Microsoft o Kinect (periférico com câmara incorporada que não necessita de controlador).

Apesar dos diversos estudos parecerem apontar que os exergames (exerjogos?) não promovem estilos de vida mais ativos, a verdade é que as empresas de videojogos têm apostado continuamente em produtos que lhe prometem os melhores programas de exercício físico. Tal, inclusivamente, tem aliviado a alguns a tal culpa em comprar uma consola para seu bel-prazer.

Mas, recentemente, a Microsoft pareceu querer apostar ainda mais no alívio da culpa. E se a consola medisse as calorias que gasta a jogar exergames, independentemente de se tratar de um jogo vocacionado para o desporto, a aptidão física ou… a aventura, a ficção científica, a arte dramática ou a ludopedagogia? Chegou o Kinect PlayFit.

Ou seja, através desta aplicação gratuita, é agora possível, ao jogar alguns videojogos Kinect na XBox 360, ter uma ideia aproximada das calorias que gasta após uma luta de sabres de luz digna dos cavaleiros Jedi mais distintos, uma volta numa das diversões da Disneylândia, uns passos de dança ao som de David Guetta, a reencenar uma cena do Exterminador Implacável 2 ou a brincar com os personagens da Rua Sésamo. Para os que jamais jogariam um exergame de desporto ou aptidão física, obtêm deste modo a informação das calorias queimadas nestas atividades. A informação é algo bom, desde que correta, claro. Além da deteção do movimento, a consola faz uma correção relativa ao peso, altura, idade e género. Mesmo que aproximados, estes dados poderão ser úteis.

Entretanto, a Microsoft promove o lançamento desta nova função, através de atribuição de conquistas – relacionadas com o número de calorias queimado e o número de dias seguidos a jogar os exergames selecionados (cerca de 15% dos jogos Kinect, neste momento) – e de roupas para os avatares. Algumas conquistas dependem parcialmente dos amigos, estimulando assim para que todos vão jogando para conseguir atingir as metas definidas.

O importante é lembrar que não deve assumir que a atividade física realizada em exergames é  adequada às suas necessidades. E que talvez fosse interessante fazer um aquecimentozito antes de começar a jogar. E que há toda uma vida para ser vivida no exterior de sua casa…

– Afonso, desliga a consola!
– Só mais um pouco, mãe, estou a cortar umas cabeças para queimar umas calorias.
– O que disseste?
– Hmm… que estou a visitar o parque Disneylândia para queimar umas calorias…?

NPS

Anúncios